Visão Geral

MOVIO Seminário “Perspectivas de Natureza” visa contribuir para a análise de aspectos contemporâneos das questões tidas como “ambientais”. Diante de uma série de implicações possíveis, ao menos desde meados do século XX, tais questões deram margem a especulações variadas sobre o futuro do planeta dando origem a uma série de políticas e mecanismos de mercado, com o propósito de atenuar (ou mitigar) os mais diversos impactos na “natureza” gerados pelas atividades produtivas.

Entretanto, ainda que na Geografia as reflexões teóricas sobre a relação sociedade-natureza estejam no cerne da sua afirmação como ciência, poucos são os debates sobre as perspectivas teórico-conceituais que fundamentam as atuais políticas ambientais e visões de natureza, assim como suas decorrências na vida pública.

Neste sentido, é que está sendo proposta a realização de um Seminário visando promover o debate sobre a problemática ambiental e importantes contribuições da pesquisa acadêmica empreendida no país e na América Latina acerca desse tema.

A necessidade de realização de um evento com essa temática vem sendo percebida por uma série de professores e estudantes da Universidade de São Paulo (USP), em especial aqueles vinculados ao Laboratório de Geografia Agrária e ao Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana do Departamento de Geografia da USP. Além disso, a possibilidade de realização de um Seminário para discutir perspectivas de análise da natureza vem sendo gestada, há mais de um ano, pelo grupo de pesquisa “Desenvolvimento geográfico desigual do capitalismo: o campo e a cidade em movimento”, coordenado pela Profa. Dra. Marta Inez Medeiros Marques.

O Seminário se destina a professores, pesquisadores, profissionais técnicos e representantes de movimentos sociais, além de estudantes de pós-graduação que trabalham com a temática do meio ambiente e da relação sociedade-natureza.

O debate entre os diferentes olhares sobre a Natureza partirá dos seguintes eixos temáticos (modalidades):

  1. Movimentos Sociais e Questão Ambiental: nesse eixo pretende-se reunir discussões sobre a atuação de movimentos sociais que representam comunidades tradicionais camponesas e indígenas na luta pela manutenção de seus territórios e formas de apropriação da natureza, bem como de suas práticas de reprodução material e social.

  2. Geografia - Sociedade e Natureza: congrega as discussões epistemológicas acerca dos conceitos geográficos e o debate teórico-prático em torno da Geografia enquanto “ciência una” (para além da divisão entre física e humana), destacando as possibilidades de abordagem da Natureza como categoria de análise.

  3. Grandes Projetos e Disputas Territoriais: esse eixo aglutina análises sobre os desdobramentos da implantação de grandes projetos, sejam eles de natureza produtiva ou infraestrutural, nas dinâmicas socioambientais, com destaque para a apropriação e usos da água, do solo e do subsolo.

  4. Mudanças Climáticas, Políticas Públicas e Negócios Ambientais: reúne as discussões sobre como as repercussões das alterações climáticas no funcionamento dos processos biofísicos tem levado a novas configurações políticas e econômicas; além de reflexões sobre a conformação das políticas públicas ambientais frente à pressão da “Economia Verde” e sobre como tais políticas se relacionam com a lógica mitigadora e das compensações ambientais.

 



Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .