Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Raízes do Pensamento Econômico Nacional-desenvolvimentista no Cone Sul
Luciano Wexell Severo, Carla Paulino da Costa Feres

##manager.scheduler.building##: Departamento de História/FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 21
Data: 2019-05-09 02:00  – 05:00
Última alteração: 2019-05-18

Resumo


O presente artigo aborda o tema do pensamento econômico nacionalista e desenvolvimentista no Cone Sul, com ênfase nas experiências de Argentina, Brasil e Uruguai, desde o início da colonização, passando pelos anos finais do século XVIII até as primeiras décadas do século XX. A finalidade da pesquisa é traçar uma linha histórica, constituída pelos principais atores e autores que poderiam ser considerados os pioneiros de um pensamento emancipador, todos associados à compreensão da necessidade de crescentes esforços de intervencionismo, de planejamento e de industrialização.

O argumento central é desmistificar a ideia tão difundida de que o pensamento econômico latino-americano surgiu entre o início do século XX e o final da Segunda Guerra Mundial. O trabalho está dividido em cinco partes. Além da Introdução e da Conclusão, há outras três seções: 1- A evolução do pensamento econômico desde 1500, que apresenta as visões de diplomatas e políticos portugueses contrários à submissão econômica do Reino à Inglaterra; 2- O pensamento econômico dos condutores das lutas de Independência na América do Sul, com interpretações críticas ao Pacto Colonial; e 3- As ideias posteriores a 1830, em um tempo marcado pela formação e a consolidação dos Estados-Nação da região, já formalmente independentes.

O denominador comum destes pensadores seria a busca pelo desenvolvimento das forças produtivas internas e as melhores condições de inserção dos países sul-americanos no cenário internacional.


Palavras-chave


Nacionalismo, Desenvolvimentismo, Brasil, Argentina, Uruguai