Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Novos velhos dilemas para a luta feminista: entre o consenso e a intransigência
Suellen Abreu, Ana Elisa Cruz Corrêa

##manager.scheduler.building##: Departamento de História/FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 19
Data: 2019-05-07 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-05-04

Resumo


Qual é a capacidade do feminismo em subverter a atual sociabilidade determinada pela produção incessante de valor? As mudanças socioeconômicas do capitalismo recente incidem nas diversas formas organizativas da classe trabalhadora, desde o movimento sindical até os movimentos sociais populares, acarretando em progressiva integração das bandeiras feministas aos interesses do capital. Criam-se nichos de mercado e apropriam-se da gramática e estética (conteúdo e forma) com o objetivo de produzir lucros ascendentes e domesticar o potencial conteúdo crítico de tais movimentos. Entretanto, algumas experiências de resistência que envolvem a questão de gênero carregam consigo potencialidades críticas. O que tem feito os movimentos brasileiros feministas atuais para contrapor a essa racionalidade neoliberal? Como construir feminismos que englobam as reivindicações dos mais variados grupos de mulheres, sem perder a dimensão dos elementos estruturantes da subordinação feminina? Para responder a estas questões desenvolvemos a atual pesquisa em andamento a partir de reflexão teórica e a realização de entrevistas qualitativas de algumas mulheres que fizeram parte de um dos maiores movimentos sociais da América Latina, o Movimento Sem-Terra, e as jovens secundaristas que protagonizaram desde 2013 muitas das lutas na cidade de São Paulo, com vistas a compreender aspectos como o a violência contra a mulher, auto-organização e anticapitalismo. Esse diálogo tenta relacionar os feminismos e suas inovações prático teóricas no quadro dos conflitos sociais sob a luz do marxismo histórico. Apresentaremos aqui algumas reflexões que expressam o momento atual desta pesquisa.

Palavras-chave


Feminismo; integracao à ordem; Capitalismo Neoliberal; Lutas Socias; Anticapitalismo