Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
O paradigma produtivo versus a reforma agrária nos países constituintes do MERCOSUL (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai).
Paulo Sergio de Castro, Rita de Cássia Marques Lima Castro, Luiz Tadeu Baptista

##manager.scheduler.building##: Departamento de História/FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Auditório Fernando Braudel
Data: 2019-05-07 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-04-29

Resumo


A terra, enquanto meio de produção agropecuário, apresenta diversas peculiaridades. Por permitir a geração de renda e status, ela é fruto de interesse por parte do ser humano. Analisar a questão da terra exige, portanto, um debruçar sobre estruturas e sobre poder. Estruturas são os fundamentos que envolvem a análise da terra – também denominadas categorias, compreendem capital, renda, terra propriamente dita, trabalho e propriedade. Essas estruturas nem sempre são iguais, ainda que geograficamente as terras sejam semelhantes. Na América Latina, por exemplo, são tão distintas as histórias sobre a terra que uma análise comparativa seria objeto de muita investigação e resultaria, certamente, em grande diversidade. Já o poder e sua relação com as terras é algo tão profundo que poderia gerar uma enciclopédia na qual um elemento sempre presente seria o resultado das transformações sociais advindas da decisão quanto à posse, ao uso e à destinação da terra. Considerando-se esses dois elementos – estruturas e poder - optou-se por comparar o paradigma produtivo versus a reforma agrária em países constituintes do MERCOSUL. Tal escolha deveu-se pelo fato de a realização de uma pesquisa prévia de um dos coautores sobre a questão da terra no Uruguai ter resultado em um rico arcabouço de pesquisa no tocante a processos que levam à perda de propostas de pioneirismo da reforma agrária uruguaia em prol do direito inalienável da propriedade individual. O contato com outros pesquisadores da América Latina levantou uma proposta de dar continuidade a esse trabalho, agregando mais alguns países da América Latina para efeito comparativo. Analisando as estruturas geográficas e socioeconômicas dos países da América Latina, decidiu-se realizar estudo comparativo agregando à pesquisa sobre o Uruguai três países inicialmente constituintes do MERCOSUL – Argentina, Brasil e Paraguai. Para esta investigação, de caráter descritivo e exploratório e sustentada pela Teoria Crítica, serão utilizadas como técnicas: pesquisa bibliográfica e documental.

 


Palavras-chave


Reforma agrária; Paradigma Produtivo; Mercosul; Terras; Poder