Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
As clivagens "renovadora" e "refundadora" da Onda Rosa: uma observação a partir das políticas de agricultura familiar
Pedro Aluízio Resende Leão, Taiane Las Casas Campos, Amanda Ramalho Guimarães

##manager.scheduler.building##: Departamento de Geografia da FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 6
Data: 2019-05-08 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-05-03

Resumo


A partir da classificação feita por Silva de “esquerda renovadora” e “esquerda refundadora”, este artigo tem o objetivo de investigar as clivagens entre as esquerdas da Onda Rosa a partir da observação de políticas públicas. Para o autor, a “esquerda refundadora” se destaca pelas políticas de “refundação” do Estado e da sociedade, então caracterizados pelo esgotamento dos modelos socioeconômicos neoliberais. “Esquerda renovadora”, ao contrário, se caracteriza pela “moderação e limitação”, operacionalizando políticas sociais dentro do paradigma neoliberal. Para esta pesquisa, serão instrumentalizadas, como nível de análise, as políticas de agricultura familiar e, a partir delas, observar como este tipo de política é justificada por ambas as esquerdas. O ponto a ser posto em prova é se os programas de agricultura familiar realmente comprovam a lógica das esquerdas refundadoras de política pública como reconhecimento dos direitos do indivíduo e da coletividade e se as esquerdas renovadoras justificam políticas como estratégias de melhoramento social e combate à pobreza. De outra maneira, esta pesquisa coloca em prova as concepções a respeito das “esquerdas” da onda rosa e entende, a partir da questão da agricultura familiar, se a justificativa refundadora à terra está relacionada à uma concepção mais fundamental e deontológica de direitos e de sociedade coletiva do que as justificativas renovadoras dentro da mesma matéria. Para isso, é necessário a seleção dos países a serem investigados: Brasil e Argentina, como esquerdas renovadoras e Venezuela e Bolívia, como esquerdas refundadoras. Em seguida, este trabalho analisa as justificativas viabilizadas, assim como a implementação prática destas políticas nos quatro países – o Programa Federal de Apoyo al Desarrollo Rural Sustentable (PROFEDER), na Argentina; o Programa Apoyo a la Agricultura Familiar Comunitária Sustentable, na Bolívia; o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF), no Brasil e o Programa de Agricultura Familiar y Escolar, na Venezuela.


Palavras-chave


Esquerdas; Refundadora; Renovadora; Políticas Públicas; Agricultura Familiar