Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Integração Regional em Tempos de Crise: Inflexões da atuação da política externa brasileira e argentina na UNASUL
Mariana Davi Ferreira, Rita Matos Coitinho

##manager.scheduler.building##: Departamento de Geografia da FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 8
Data: 2019-05-08 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-05-04

Resumo


O artigo analisa o quadro das atuais mudanças em torno da União das Nações Sul Americanas (UNASUL) a partir de uma abordagem interdisciplinar, com foco na contribuição do pensamento social e político latino-americano. O objetivo do trabalho é analisar as variáveis econômicas e políticas que incidiram sobre a consolidação e a crise da UNASUL, com foco na atuação do Brasil e da Argentina. A partir da experiência deste processo de integração regional, elaboramos a hipótese de que, a depender das forças políticas em posição de governo e da conjuntura da economia internacional, a integração regional na América Latina pode configurar-se como um instrumento de luta por autonomia frente os condicionantes estruturais do capitalismo dependente. O texto abordará as  variáveis conjunturais, na esfera da economia e da política, que incidiram sobre a consolidação da UNASUL, com destaque para i) a ascensão de governos de contorno nacional e popular em um número importante de países do subcontinente sul-americano e ii) a conjuntura economicamente favorável aos países exportadores de commodities. O recorte temporal e espacial localiza a análise nas principais diretrizes de Política Externa para a integração regional dos governos de Néstor e Cristina Kirchner, na Argentina e de Lula e Dilma no Brasil. Busca-se evidenciar as conexões entre a orientação neodesenvolvimentista das forças econômicas e políticas que ocuparam os governos destes dois países e o fortalecimento dos projetos de integração regional. Por fim, discute-se as inflexões na política externa dos dois países após a vitória de Maurício Macri na Argentina (2015) e a deposição de Dilma Rousseff no Brasil (2016) e suas implicações para a crise da UNASUL. Para tanto,   analisa-se a atuação dos Estados brasileiro e argentino frente ao bloco e como as frações da classe burguesa movimentaram-se sobre a política externa e a integração regional nesse período.

Palavras-chave


UNASUL; Autonomia; Capitalismo dependente; Integração regional