Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Raça e racismo como desafios ao pensamento social latino americano contemporâneo: reflexões e apontamentos
Caroline Cotta de Mello Freitas

##manager.scheduler.building##: Departamento de Ciência Política/ FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 118
Data: 2019-05-08 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-05-04

Resumo


Brasil e Bolívia são sociedades nas quais os processos de independência e constituição republicana foram profundamente afetados pelas teorias raciais europeias do século XIX. Podemos afirmar que a dinâmica social em ambos contextos é fruto de discursos de branqueamento da população e defesa mestiçagem. Embora cada contexto tenha suas especificidades, em ambos países a cor da pele, o sotaque, entre outras características, são determinantes no acesso ou não a oportunidades sociais e pleno gozo de direitos até o presente momento. Pretendemos refletir sobre como os discursos sobre mestiçagem e “ausência de racismo” tem atuado como impeditivos para a transformação das sociedades brasileira e boliviana. Por meio do debate sobre como o racismo se manifesta nos dois contextos, propomos discutir como as reivindicações por representatividade de parcelas das populações historicamente silenciadas e por políticas públicas de reparação, por exemplo, constituem ponto fundamental para luta emancipatória nos dois países. Como transformar a realidade em sociedades atravessadas pelo racismo sem discuti-lo abertamente? Entendemos que constituir espaço na arena do debate público sobre raça e racismo, tanto no Brasil e quanto na Bolívia, é fundamental. Os debates sobre raça e racismo, em um contexto e em outro, tem sido propostos pelos grupos “minoritários” (mormente, negros e indígenas), e tem sido reiteradamente desqualificados. Nos parece que este é um dos maiores desafios epistemológicos que tem sido colocados para o pensamento social latino-americano, como lutar pelo reconhecimento das demandas de grupos historicamente excluídos, em diferentes níveis, e simultaneamente defender a construção de um projeto comum? As feministas negras estado unidenses tem propostas neste sentido, e é com base nas reflexões destas autoras que construiremos nossa reflexão.

Palavras-chave


Brasil, Bolívia, Raça-racismo, Mestiçagem, Pensamento social latino-americano