Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Situação de rua na Folha de S. Paulo – representação dos deslocamentos e permanências da população em situação de rua na cidade
Viviane de Melo Resende

##manager.scheduler.building##: Prédio da Letras/ FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 108
Data: 2019-05-07 02:00  – 05:00
Última alteração: 2019-05-03

Resumo


O objetivo geral do projeto “Representação de políticas públicas para população em situação de rua como gestão do território: metáforas espaciais na Folha de S. Paulo” é mapear e analisar representações de políticas e ações públicas voltadas à população em situação de rua na produção discursiva do portal de notícias on-line da Folha de S. Paulo. Para tanto, são utilizados dados de jornalismo web coletados para o projeto “Representação midiática da violação de direitos e da violência contra pessoas em situação de rua no jornalismo on-line” (CNPq 304075/2014-0), que mapeou mais de 750 notícias no recorte temporal 2011-2013. Este trabalho toma um foco parcial desses dados, situando formas como a Folha de S. Paulo representa a população em situação de rua em notícias que tematizam políticas públicas. As análises focalizam os textos em seus aspectos verbais e visuais, com ferramentas da análise de discurso crítica (Fairclough, 2003; van Dijk, 2008; Resende, 2017) e da gramática do design visual (van Leeuwen, 2005; Biasi-Rodrigues; Nobre, 2010), buscando mapear metáforas espaciais (Charteris-Black, 2004) que permitam uma discussão da gestão do espaço urbano como gestão de população, e especialmente de seus movimentos e permanências na cidade. Neste trabalho apresentarei alguns resultados analíticos a respeito das representações de deslocamentos da população em situação de rua na cidade, com foco especial nas metáforas espaciais em torno de seus movimentos na cidade, representados em metáforas com ‘retirar’, ‘devolver’, ‘(não) atrair’ etc., e nas permanências da população em situação de rua em espaços da cidade, representadas em metáforas com ‘aglomeração’, ‘concentração’ etc. Os dados mostram com recursos da língua como a metaforização recorrente de significados ligados ao espaço urbano são apropriados em discursos preconceituosos que negam à população em situação de rua deslocamento e permanência, justificando a vigilância constante de seus passos.

Palavras-chave


Análise de discurso crítica; NVivo; Folha de S. Paulo; Situação de rua; Metáfora