Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
O Serviço Social Crítico na América Latina
Heloise Helena Pereira Nunes

##manager.scheduler.building##: Departamento de História/FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 19
Data: 2019-05-07 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-05-04

Resumo


O presente trabalho propõe traçar brevemente o Serviço Social crítico no contexto da América Latina, através de levantamentos bibliográficos, abordando desde a gênese da profissão no continente, sua relação com o capitalismo dependente e a maneira como a perspectiva crítica emerge na profissão até a atualidade. O Movimento de Reconceituação da profissão, que se manifestou em diferentes países latino americanos em meio ao apoio às lutas e movimentos sociais (aproximadamente entre 1965 e 1975), possibilitou a aproximação da teoria crítica marxista dos assistentes sociais como uma alternativa para compreender e responder demandas colocadas para a profissão naquele período. O Movimento foi vivenciado de formas diferentes em cada país e algumas experiências e particularidades serão apresentadas, com objetivo de traçar a consolidação, ou não, da perspectiva crítica marxista no Serviço Social latino americano, apresentando o debate atual na profissão e os limites e possibilidades, na conjuntura atual, de uma direção crítica profissional.

O presente trabalho propõe traçar brevemente o Serviço Social crítico no contexto da América Latina, através de levantamentos bibliográficos, abordando desde a gênese da profissão no continente, sua relação com o capitalismo dependente e a maneira como a perspectiva crítica emerge na profissão até a atualidade. O Movimento de Reconceituação da profissão, que se manifestou em diferentes países latino americanos em meio ao apoio às lutas e movimentos sociais (aproximadamente entre 1965 e 1975), possibilitou a aproximação da perspectiva crítica marxista dos assistentes sociais como uma alternativa para compreender e responder demandas colocadas para a profissão. O Movimento foi vivenciado de formas diferentes em cada país e algumas experiências e particularidades serão apresentadas, com objetivo de traçar a consolidação, ou não, da perspectiva crítica marxista no Serviço Social latino americano, apresentando o debate atual na profissão e os limites e possibilidades na conjuntura atual da direção crítica profissional.


Palavras-chave


Serviço Social. Teoria Crítica. América Latina. Marxismo. Capitalismo Dependente.