Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
La memoria guardará lo que valga la pena. As possibilidades das comissões da verdade como construtoras de memória coletiva. Aproximações entre Brasil e Colômbia.
Maria Fernanda Magalhães Scelza

##manager.scheduler.building##: Departamento de Ciência Política/ FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 10
Data: 2019-05-08 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-04-26

Resumo


As palavras de Eduardo Galeano, escritor uruguaio, não deixam dúvidas sobre a importância da memória: por conservar tudo aquilo que vale a pena, torna-se plural, detém a história e perpassa inúmeras temporalidades. Assim, refletir sobre ela não é refletir unicamente acerca do passado, mas sobre a forma como se deu a atualização desse passado no presente. Portanto, é também perceber o presente e apreender as peculiaridades deste. Essa é a tônica do estudo aqui apresentado, ainda em estágio embrionário. O objetivo é meditar sobre os modelos de comissões da verdade implementados no Brasil e Colômbia, bem como os alcances observados no que se refere aos esforços empreendidos para a construção de uma memória coletiva. Para isso, são analisadas – especificamente para esta apresentação – as propostas da Comissão Nacional da Verdade (CNV), estabelecida no Brasil entre os anos de 2011 e 2014, e da Comissão para o Esclarecimento da Verdade, a Convivência e a Não Repetição (CEVCNR), em funcionamento na Colômbia desde fins de 2018, a fim de fomentar o debate quanto às possibilidades de ditos mecanismos em ambos os países. Considera-se aqui a constituição da memória, seja individual ou coletiva, como um direito humano, compreendendo a rememoração como o início de um processo onde as opressões e os sofrimentos possam ser reparados. E essa reparação implica a ideia de um presente transformado que, se capaz de representar um reencontro com o passado perdido, pode, por sua vez, retomá-lo e transformá-lo em futuro de paz. Por conseguinte, é fundamental a reflexão acerca da contribuição da proposta em questão para a consolidação dos direitos humanos no Continente, tendo em vista a fragilidade dos processos de democratização ocorridos em fins do século XX.


Palavras-chave


Memória; Comissões; Verdade; Redemocratização; Transição