Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Operação Fênix: estratégias e táticas das incursões repressivas da CIA na América Latina.
Shaiene de Carvalho Silva

##manager.scheduler.building##: Prédio da Letras/ FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 103
Data: 2019-05-08 02:00  – 05:00
Última alteração: 2019-04-26

Resumo


Com o fim da Segunda Guerra Mundial e o surgimento de um conflito ideológico expressados pela Guerra Fria e o espectro do comunismo pelo mundo, os EUA elaboram a Doutrina de Segurança Nacional (DSN), como forma de barrar os avanços comunistas, garantindo sua zona de influência e a sua supremacia diante a União Soviética.

Tal doutrina foi implantada em diversos países latino-americanos, apoiados pelos segmentos das burguesias locais para proteger seus interesses controlando a vida social a partir de táticas e estratégias repressivas.

O presente trabalho consiste em analisar o modus operandi das incursões repressivas “supervisionadas” pela CIA durante o conflito conhecido como Guerra Civil, que assolou El Salvador entre os anos de 1980 a 1992. O conjunto de tais operações é denominado “Operação Fênix” e compõem-se de estratégias e táticas também denominadas “guerra suja”, ou de “guerra de baixa intensidade” ou ainda “guerra contra revolucionária”, as quais são recorrentes em toda a América Latina durante os períodos ditatoriais, mas cujos vestígios podem ser encontrados até a atualidade, pois são seus produtos, entre outros: os exércitos paramilitares, a potencialização da mídia como instrumento facilitador desse tipo de guerra (“agenda setting”), a disseminação das torturas em pessoas sabidamente sem informações e sob custódia do Estado ("Assauresse"), os esquadrões da morte.




Palavras-chave


El Salvador, Fênix, Operações, CIA, Guerra Civil.