Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Intervenção em centros históricos e avaliação de ocupação urbana: modalidade de moradia na América Latina
Pier Paolo Pizzolato, Giovanni Polo Durán

##manager.scheduler.building##: Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas/ FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 263
Data: 2019-05-08 02:00  – 05:00
Última alteração: 2019-05-03

Resumo


O propósito desta apresentação é avaliar duas intervenções urbanas: a de Getsemaní (Cartagena de Índias - Colômbia) e  a Villa Sanhauá de João Pessoa (Paraíba-Brasil). Getsemaní é bairro há até bem pouco tempo considerado marginal, localizado no centro histórico de Cartagena, onde a iniciativa privada vem investindo na expulsão e padronização social dos espaços urbanos, incentivando a exploração turística. A Villa Sanhauá, também há pouco tempo considerada marginal, vem apresentando uma intervenção bastante peculiar na medida em que o investimento buscou evitar a gentrificação, como a do caso colombiano, procurando um resultado mais respeitoso em relação a comunidade próxima, permitindo a revitalização mais consciente e sustentável, buscando evitara exploração imobiliária e o turismo predatório.

A avaliação terá como foco as consequências para com o patrimônio histórico das intervenções em Getsemaní e o edital da intervenção arquitetônica/urbana proposta pelo poder público de João Pessoa e o pós-uso do patrimônio.

Metodologicamente, seguir-se-á Bidou-Zachariasen (De volta à cidade: dos processos de gentrificação às políticas de “revitalização” dos centros urbanos) e Caraballo (Centros históricos de América Latina, una polémica de fin de siglo).

Quanto ao resultados, mostra-se que uma ocupação sem gentrificação pode ser possível e se estabelece critérios para uma intervenção que respeite os conjuntos edificados e seus moradores e que possa ser replicada em outros casos em toda a América Latina.


Palavras-chave


Intervenção em sítios históricos, gentrificação, patrimônio histórico, arquitetura, urbanismo