Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Entre os limites da ação artística e ação política: conceitualismo nas ações de arte do CADA na ditadura chilena
Maria Eduarda Kersting Faria

##manager.scheduler.building##: Prédio da Letras/ FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 102
Data: 2019-05-07 02:00  – 05:00
Última alteração: 2019-04-26

Resumo


Esse trabalho busca dar enfoque a um debate acerca da relação entre arte e política na América Latina nos anos das ditaduras militares a partir das manifestações artístico-subvesivas do Colectivo Acciones de Arte (CADA), que surge no ano de 1979 e atua na década de 1980 no Chile. Com quatro ações nas ruas, a mais conhecida delas foi a última realizada pelo grupo entre os anos de 1983 e 1984, a ação de arte "NO+" (no más), que consistia em grafites nos muros da cidade com esses dizeres como uma espécie de texto aberto que deveria ser preenchido pelas pessoas de acordo com demandas sociais, convertendo as ruas em um espaço de denúncia que o coletivo fazia em conjunto da população (KATURANIC, 2001).

A utilização do espaço público para ações de arte coletiva que buscavam não só a denuncia como a insurgência, ou preposição de alternativas políticas, tem muita força nos anos das ditaduras, principalmente 1980 que é caracterizada como a década das ações de arte (HUYSSEN, 2014). No entanto, cabe pensarmos em algo que antecede essas ações do grupo CADA e que é inaugural para se pensar esse novo tipo de relação entre arte e política na América Latina, o evento Tucuman Arde. Em um limite tênue entre ação artística e ação política, acontece em 1968 na Argentina, onde o conceito de projeto artístico é levado ao limite, e o entendimento da arte como objeto é transformado pelo da arte como um acontecimento, que estava entre a arte e a política, como nas ações do CADA.

Assim, esse trabalho procura pensar a relação entre arte e política na América Latina, com enfoque nos anos da ditadura em Chile e Argentina, onde também é importante um debate acerca do conceitualismo latino-americano, o qual não prescinde a discussão política (LONGONI, 2012).


Palavras-chave


Arte conceitual, Ação política, Ditadura militar, CADA, Ações de Arte