Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Roberto Evangelista e Xul Solar: “do espiritual” (ou do “anti-racional”) em duas trajetórias artísticas latino-americanas.
Roberta Paredes Valin

##manager.scheduler.building##: Prédio da Filosofia e Ciências Sociais da FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 101
Data: 2019-05-07 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-04-26

Resumo


Roberto Evangelista (1946) e Xul Solar (1887-1963) são dois artistas latino-americanos cuja espiritualidade atravessa suas produções e reflexões artísticas; ou seja, partem de uma espécie de concepção cosmológica de vida que se desdobra na arte (HABKOST, 2014). O primeiro, Roberto Evangelista, é um artista brasileiro residente em Manaus (contexto de pouco interesse dos historiadores da arte e, portanto, ainda hoje, à margem da histografia da arte brasileira) que entre as décadas de 1960 e 1990 obteve repercursão nacional e internacional com uma produção artística resultado do agenciamento entre espiritualidade, processo reflexivo constante e conceitualismos. O segundo, Xul Solar, é um dos mais consagrados artistas argentinos. Sua produção artística, em especial sua obra pictórica, se projetou ao longo do século XX marcada por um viés exotérico ante ao racional. Nesta proposta busco, primeiramente, comparar as narrativas biográficas de ambos os artistas a fim de identificar qual o sentido, ou quais os sentidos, que o fenômeno da espiritualidade ganha em suas produções e reflexões artísticas. Em seguida, lanço-me em uma tentativa de demonstrar como essas trajetórias artísticas, moldadas por uma compreensão anti-racional da arte, foram incorporadas (ou não, no caso de Roberto Evangelista) na historiografia da arte de seus respectivos países.  O desenho metodológico encontrado para essa pesquisa em andamento está centrado no cruzamento de um processo de revisão da literatura e de fontes textuais e orais - como os registros das conversas empreendidas, ao modo de entrevistas, no caso do artista brasileiro.

 

 


Palavras-chave


história da arte latino-americana; trajetórias espirituais; Roberto Evangelista; Xul Solar