Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Lima narrada: entre arquitetos e literatos
Ana Claudia Veiga de Castro

##manager.scheduler.building##: Prédio da Letras/ FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 134
Data: 2019-05-07 02:00  – 05:00
Última alteração: 2019-04-25

Resumo


A despeito de haver um interesse renovado pelas conexões possíveis entre literatura e história, os rendimentos dessa ligação continuam sendo em grande medida um desafio.O que se propõe aqui é justamente esboçar algumas considerações sobre o tema, no que diz respeito especificamente à história urbana, ou o que vem sendo chamado de história cultural urbana, tomando como objeto a cidade de Lima no segundo pós-Guerra.

Assim como outras cidades latino-americanas, mas de modo precoce, Lima vive a intensificação do processo de urbanização com consequências que marcam até hoje sua paisagem. O surgimento das barriadas, ocupações precárias ao redor do casco histórico, contrastam com o investimento na edificação de unidades vecinais, grandes conjuntos habitacionais que sintetizam os esforços da modernização urbana e arquitetônica do país. Ambas as experiências marcam os discursos dos arquitetos, que discutem a cidade e o que se quer dela nas páginas da revista El arquitecto peruano, dirigida por Belunde Terry, ao mesmo tempo que perpassam as narrativas ficcionais, como se nota por exemplo na literatura de Julio Ramón Rybeiro, escritor contemporâneo que toma Lima (e a cidade peruana) como fulcro da sua experiência literária.

É pensando nessa complexa circulação de ideias e imagens que fazem Lima existir como construção mental tanto quanto física, que se quer compreender como as cidades podem ser reveladas pelas diversas e variadas formas de representação que transmitem os significados imateriais e materiais daqueles artefatos.


Palavras-chave


Lima; Literatura; História Cultural Urbana; Cidade Latino-Americana; Arquitetura