Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Modernização autoritária X Neoliberalismo autoritário: as reformas universitárias no Brasil e no Chile durante suas ditaduras
Luan Aiuá Vasconcelos Fernandes

##manager.scheduler.building##: Prédio da Letras/ FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 103
Data: 2019-05-08 02:00  – 05:00
Última alteração: 2019-04-26

Resumo


Brasil e Chile sofreram golpes civil-militares nas décadas de 1960 e 1970, respectivamente, e estiveram sob a óptica de longas ditaduras. Indo além da intensa repressão deflagrada no período, as ditaduras brasileira e chilena efetuaram um amplo processo de reestruturação em diversos setores da sociedade. Um deles foi o ensino superior, que foi fortemente impactado pelas reformas de ambas as ditaduras, gerando discordâncias e manifestações contrárias à sua forma e ao seu conteúdo no momento de suas implementações. As ditaduras brasileira e chilena seguiram caminhos distintos em relação às reformas universitárias, apesar de terem em comum a via autoritária para fazer valer as decisões governamentais.

Este trabalho objetiva, a partir de estudos já realizados no mestrado do autor e que continua sendo realizado em seu doutorado, fazer uma análise comparativa das reformas do ensino superior no Brasil e no Chile. Enquanto o Chile seguiu o caminho neoliberal, confeccionado, no país andino, pelos chamados Chicago Boys, o Brasil efetuou uma reforma de modernização com elementos nacional-desenvolvimentistas e liberais, evitando um aprofundamento nas políticas neoliberais.

O presente estudo utiliza-se da metodologia comparativa clássica, com influências de Marc Bloch, Raymond Grew e Maria Ligia Coelho Prado. O trabalho também se insere na linha de pesquisa da História Política renovada, utilizando-se principalmente do conceito de culturas políticas, na forma como foi trabalhado por Serge Berstein e por Jean-François Sirinelli.

A pesquisa vem revelando que, apesar da modernização alcançada no sistema universitário de ambos os países, tanto o Brasil quanto o Chile tiveram seus problemas em decorrência da maneira como as reformas foram introduzidas. Além disso, o Chile vem revendo enfaticamente a reestruturação neoliberal imposta durante o regime pinochetista, enquanto o Brasil vem trilhando o caminho oposto, incentivado pelo neoconservadorismo autoritário que se aliou ao neoliberalismo em busca de supostas soluções econômicas.

Palavras-chave


Ditaduras; América Latina; Brasil; Chile; Neoliberalismo