Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Os Novos Golpes de Estado na América Latina e Caribe: avanço do neoliberalismo e da agenda de segurança no século XXI
Jacques de Novion

##manager.scheduler.building##: Prédio da Letras/ FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 223
Data: 2019-05-09 02:00  – 05:00
Última alteração: 2019-05-04

Resumo


O presente artigo busca apresentar elementos para uma observação do processo histórico de construção das relações internacionais do continente americano. Para isso, o escrito está baseado nas quatro propostas metodológicas dos Estudos Latino-americanos, buscando apresentar uma observação sócio histórica, interdisciplinar, comparada, que permita um olhar geopolítico e macrorregional.

Particularmente, apresenta-se uma visão de longa duração, que se estende do final do século XIX ao princípio do século XXI, em andamento na atualidade. Processo denominado de Binômio Integração - Segurança, que apresenta cinco distintos momentos, que revelam os interesses e práticas hegemônicos no continente ao longo do tempo. Os cinco momentos são: Panamericanismo – Big Stick; Interamericanismo – Boa Vizinhança; Interamericanismo – Contra insurgência; Aliança para o Progresso – Anticomunismo; Globalização Neoliberal – Nova agenda de segurança. Ideia desenvolvida no doutorado (UNAM, 2011) e que segue na centralidade de minhas pesquisas e publicações.

Nesta longa duração, pode-se destacar a existência de distintos momentos, caracterizados por ondas autoritárias e ditatoriais no continente, ideia defendia em artigo publicado na Revista Taller (2015). Os novos golpes de estado na atualidade, mantidas as diferenças e particularidades com as anteriores, se inserem nesse processo, que marca uma nova acomodação dos interesses hegemônicos na região e suas novas centralidades. Entre essas diferenças e particularidades espaço-temporais se destaca o avanço da agenda neoliberal, inovada e radicalizada, concomitante à implementação das novas temáticas de segurança, e vinculadas às novas tecnologias e as redes de informação.

Desta forma se observa o avanço do neoliberalismo no continente, marcado por uma nova acomodação da hegemonia nesta parte do planeta, mas sem perder de vista o contexto internacional, com forte presença e atuação chinesa e russa. Ao mesmo tempo, verifica-se as novas centralidades, com o cerco a áreas abundantes em recursos, riquezas e conhecimentos; a (des)identificação e (des)ideologização do inimigo a combater, pulverizando as ameaças e criminalizando movimentos sociais, populares e identitários.

Palavras-chave


Neoliberalismo; Segurança; Hegemonia; Geopolítica