Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Os “grandes homens” nas declaratórias de proteção do patrimônio histórico e artístico nacional argentino (décadas de 1940 e 1950)
Maíne Barbosa Lopes

##manager.scheduler.building##: Departamento de Geografia da FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 11
Data: 2019-05-08 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-05-03

Resumo


O trabalho tem como foco as práticas de declaração do patrimônio histórico e artístico nacional argentino, implementadas ao longo das décadas de 1940 e 1950 pela Comisión Nacional de Museos y de Monumentos y Lugares Históricos (CNMMyLH). Do conjunto de bens declarados no período, identificamos três justificativas principais para a sua preservação: por aludirem a um acontecimento histórico ou ser considerado antigo, por se referir a um personagem histórico e/ou por valores estéticos. Nessa comunicação, centramos nossa atenção nos bens declarados segundo o critério histórico e, de forma especial, nos personagens do passado nacional celebrados por meio das declaratórias. Algumas dessas figuras foram referidas de maneira recorrente na narrativa da Comisión, seja nas resenhas dos bens protegidos como Monumentos e Lugares Históricos, seja nas categorias de Árvore Histórica e Sepulcro Histórico criadas ao longo da gestão. Cabe-nos discutir quais personagens foram privilegiados pela instituição, o lugar conferido a eles na historiografia da época e o seu papel na elaboração da imagem da nação que foi levada à cabo pelos governos daquelas décadas.

Palavras-chave


Patrimônio cultural; Argentina; Comisión Nacional de Museos y de Monumentos y Lugares Históricos; personagens