Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Um Outro Fazer em Educação Comparada
Denise Bianca Maduro Silva, Maria José Flores, Luisa Mejia Toro

##manager.scheduler.building##: Prédio da Letras/ FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 131
Data: 2019-05-08 02:00  – 05:00
Última alteração: 2019-05-03

Resumo


A educação comparada é um campo de estudos que propõe analisar a formulação e implementação de políticas, programas e sistemas educativos.  Na produção científica em educação comparada na América Latina, pode-se identificar duas narrativas distintas: uma que se pauta pela transnacionalização e promove um marco comum para influenciar as políticas públicas dos sistemas nacionais de educação, com forte influência de organismos internacionais, e, por outro lado, uma narrativa crítica a esse modelo e que se propõe decolonial. A colonialidade fundamenta-se na imposição histórica da classificação dos povos a partir do olhar eurocêntrico, que passou a classificar e definir cada uma das dimensões da existência individual e social. Com a naturalização desse processo de dominação e da hegemonia dos discursos, se estabelecem as formas de colonialidade do poder, do ser e do saber, que, na atualidade, visam a manutenção das estruturas de poder a partir do estabelecimento de um padrão único de conhecimento, de ver o mundo e a nós mesmos. O presente artigo tem por objetivo explicitar as diferenças entre as duas tendências do campo de estudos em educação comparada, contrapondo a perspectiva hegemônica dos organismos internacionais a uma perspectiva que em sua proposta e em seu fazer traz outras possiblidades de produção de conhecimento na América Latina, com influência para as políticas educativas da região. Para consecução do objetivo proposto, realiza-se revisão bibliográfica sobre o campo da educação comparada, com foco na discussão epistemológica, contrapondo a abordagem dada pelos estudos promovidos pelos organismos internacionais a uma abordagem fundamentada nos estudos culturais e no pensamento decolonial, presente em programas de pós-graduação em educação na região. Conclui-se que uma perspectiva decolonial para as investigações em educação comparada significa mais “O que podemos aprender uns com os outros?” e menos “O que os outros têm a nos ensinar?”.


Palavras-chave


América Latina, Educação comparada, Pesquisa, Pós-graduação, Educação.