Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Cooperação Sul-Sul na América Latina e o Caribe: contribuições para uma sociologia das relações internacionais latino-americanas
Marina Bolfarine Caixeta

##manager.scheduler.building##: Departamento de Geografia da FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 8
Data: 2019-05-08 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-05-04

Resumo


O tema central desta pesquisa é a cooperação Sul-Sul (CSS), entendida como mecanismo das relações internacionais de solidariedade e horizontalidade entre os povos e nações rumo à satisfação humana de sua existência – um ‘bem viver’. Desde a concepção das parcerias entre o Sul global, este campo ensaia iniciativas prático-políticas e interpretações científicas que sejam capazes de reformar o paradigma da cooperação internacional para o desenvolvimento. Não se trata mais de usar os mesmos referenciais analíticos e indicadores de ‘progresso’ da cooperação tradicional, mas refundar sua base política e, também, acadêmica. Daí o interesse desta pesquisa, que tem o objetivo de propor novos instrumentos teórico-metodológicos para a cooperação Sul-Sul, desta vez a partir de uma perspectiva latino-americana e caribenha, ‘lugar de fala’ da autora da investigação. Sendo assim, esta pesquisa assume um caráter mais teórico e metodológico do que empírico. Num segundo momento, pretende-se seguir com análise de iniciativas e carteira de projetos de CSS dos países da região no bojo da pesquisa doutoral do campo de políticas comparadas. Para tanto, este trabalho pretende fazer convergir uma teoria social da política internacional de base construtivista (WENDT, 2014) com a proposta francesa de uma sociologia das relações internacionais (MERLE, 1981; SMOUTS, 2004; DEVIN, 2009) e contribuições latino-americanas da corrente decolonial, notadamente os debates feministas decoloniais (MIÑOSO, CORREAL & MUÑOZ, 2014), a filosofia da libertação (DUSSEL, 1993) e os debates sobre o pós-desenvolvimento (ACOSTA, 2010; ESCOBAR, 2005; 2017), com vistas a apresentar ‘lentes’ mais adequadas para compreender e evoluir a cooperação Sul-Sul como projeto reformista da ordem internacional. Como resultado, apresenta-se uma ‘sociologia das relações internacionais latino-americana’. A partir disso, a região propicia a renovação da prática da cooperação Sul-Sul mediante a crítica ao conceito desenvolvimento, e colabora com o surgimento de teorias próprias e situadas que possibilitam práticas política mais autônomas.


Palavras-chave


Cooperação internacional; Sul global; Sociologia; Relações internacionais; América Latina e Caribe