Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
O deslocamento dos indígenas Warao em território brasileiro
Marina de Campos Pinheiro da Silveira, Cynthia Soares Carneiro

##manager.scheduler.building##: Prédio da Filosofia e Ciências Sociais da FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 12
Data: 2019-05-07 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-04-29

Resumo


Desde 2014, observa-se a entrada de imigrantes venezuelanos por meio da fronteira entre a Venezuela e o Brasil, na cidade de Pacaraima, Estado de Roraima. A maioria dos imigrantes relata que decidiu emigrar devido ao agravamento da crise política e econômica da Venezuela. Além de se tratar de um fluxo migratório intenso e novo, parte dos imigrantes é de indígenas de etnia Warao, o que dificultou ainda mais o trabalho das autoridades brasileiras em recepcionar adequadamente os imigrantes. Os indígenas Warao vivem, tradicionalmente, no Estado de Delta Amacuro, na Venezuela. Devido à degradação de seus territórios, na década de 90 os Warao começaram a se deslocar aos contextos urbanos venezuelanos, para levantar recursos para sobrevivência, mas mantendo características próprias da etnia. Com a crise venezuelana, os Warao passaram a se deslocar para o Brasil, através da fronteira existente na cidade de Pacaraima e se concentraram na cidade de Boa Vista, Estado de Roraima, assim como os imigrantes não-indígenas. Posteriormente, parte desses imigrantes deslocou-se para as cidades de Manaus, no Estado do Amazonas, e Belém, no Estado do Pará. Assim, propõe-se uma análise dos deslocamentos dos indígenas Warao para as cidades de Manaus e Belém e como foram recepcionados, por meio do estudo de documentos oficiais, relatórios de organizações não governamentais e notícias de jornal, para averiguar o adequado cumprimento da legislação brasileira que trata sobre migrações pelas autoridades brasileiras atuantes nestes Estados.

Palavras-chave


Brasil; Venezuela; Migração; Warao; Políticas Públicas