Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Expressões da pátria intelectual americana: os escritos de José Enrique Rodó na Revista Nacional de Literatura y Ciencias Sociales.
Elisângela da Silva Santos

##manager.scheduler.building##: Departamento de História/FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 13/Ilana
Data: 2019-05-07 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-04-25

Resumo


Durante 1898 e 1897, José Enrique Rodó coordenou em parceria com Victor Perez Petiti, Carlos Martinez Vigil e Daniel Martinez Vigil a Revista Nacional de Literatura y Ciencias Sociales, com sede em Montevidéu/Uruguai. O debate predominante era a necessidade de preservar a continuidade da cultura hispânica e Ocidental nas formas de expressão literárias; a insistência na tradição seria uma defesa da continuidade com a Espanha, num momento de mudanças sociais intensas em países que passaram pelo processo de emancipação. O objetivo desta comunicação é realizar uma interpretação dos textos de Rodó, publicados nesta Revista. As publicações sequenciais podem ser investigadas a partir de concepções de circulação e interseção de áreas que transcende a crítica literária, pois perpassa elementos da história e da sociologia, da história das ideias e da história intelectual, entre outras. Roxana Patiño (2009) aponta que as revistas seriam componentes chave para a conformação de projetos intelectuais e literários. Em suas páginas a Revista reuniu durante seu primeiro ano de existência a mais representativa intelectualidade uruguaia. Em seu segundo ano, estabeleceu relações com os centros mais cultos do Continente: Santiago do Chile, Buenos Aires, Lima, Caracas, Colômbia, Equador e Espanha. Foi o veículo da revelação do interesse de Rodó pela literatura de língua espanhola produzida na sua contemporaneidade, e o pleno exercício da crítica literária. Em seus textos, os grandes temas aventados perpassam os movimentos literários Americanismo e Modernismo. Rodó concebia literatura como valor de significado social, e as manifestações dispersas da intelectualidade hispânica deveria se fortalecer e estreitar os laços de confraternidade. Tendo em vista esta perspectiva, o autor forjou o termo “pátria intelectual”, que deveria compreender o esforço de intelectuais hispano-americanos e espanhóis, no processo de construção e difusão de formas originais da literatura e da cultura produzida no continente.


Palavras-chave


José Enrique Rodó; Revista; Pátria intelectual; Literatura; Pensamento Social Hispano-Americano