Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
A Colômbia de Fernando Vallejo em O Despenhadeiro
Thais Milena Barbosa Carapiá

##manager.scheduler.building##: Prédio da Letras/ FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 111
Data: 2019-05-08 02:00  – 05:00
Última alteração: 2019-04-25

Resumo


A partir dos jogos narrativos que constroem uma perspectiva de realidade, o presente artigo propõe estabelecer relações entre a obra O despenhadeiro (em espanhol, El desbarrancadero), do escritor colombiano naturalizado mexicano Fernando Vallejo (1942-), publicado em 2001, e a maneira como a história da Colômbia recente encontra uma forma de representação. De volta a Medellín, por conta do estado de saúde do irmão, Darío, portador do vírus HIV, o protagonista se depara com seu passado, suas memórias, as experiências vividas com o irmão na juventude, além do reencontro com a mãe, com a qual tem uma relação conturbada. Para tanto, o narrador faz uso de seu pessimismo, principalmente em relação ao futuro da humanidade, ironia e criticismo a fim de denunciar as injustiças, as políticas vergonhosas e a crueldade. A análise se justifica pelo fato de o livro ter sido publicado em meio ao contexto crítico do país: o conflito entre o poderio das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) frente a um governo corrupto, marcado pela fragmentação nacional e muita violência. Ademais, a obra recebeu o Prêmio Internacional de Novela Rómulo Gallegos, em 2003. Levando-se em conta conceitos de identidade, memória, herança e afeto, na esteira dos estudos culturais desenvolvidos por Jesús-Martin Barbero (2001; 2005), elabora-se uma reflexão sobre pertencimento familiar e nacional. Como referencial teórico, a fim de estabelecer o gênero no qual o romance está situado, lança-se mão das reflexões de Eurídice Figueiredo (2007), desenvolvidas a partir do conceito de autoficção criado por Serge Doubrovsky. Como resultado, busca-se uma narrativa de contestação, apreensiva e perspicaz que desmonta o significado de nação, baseado no vínculo que une indivíduos que partilham território, língua, aspirações materiais, espirituais e, principalmente, convicção de um querer viver coletivo. Ao contrário, denuncia o quanto a violência impacta na sociedade colombiana.


Palavras-chave


Colômbia; Fernando Vallejo; El Desbarancaderro; Estudos culturais; Autoficção