Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
A etnização da luta de classes em Clóvis Moura e José Carlos Mariátegui
Marcelo Martins Silva

##manager.scheduler.building##: Departamento de História/FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 10
Data: 2019-05-07 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-04-26

Resumo


As inserções do negro e do indígena na dinâmica da luta de classes são proposições que emergem das análises de autores latino-americanos preocupados com a compreensão da especificidade da luta de classes na América Latina e em seus respectivos países; dentre esses, destacamos nesse trabalho, Clóvis Moura do Brasil e José Carlos Mariátegui do Peru.

A partir de uma discussão teórica ancorada, principalmente, nas obras: “Rebeliões da senzala” e “Dialética radical do Brasil negro” de Clóvis Moura ; e “Sete ensaios de interpretação da realidade peruana” e “El problema de las razas em la América Latina” de José Carlos Mariátegui, trabalhamos com o conceito de “etnização da luta de classes”, argumentando ser essa uma temática central na concepção destes autores em relação ao conflito capital-trabalho na história da luta de classes na América Latina.

Para Moura, o negro, ao perceber-se diferenciado e ao confrontar tal situação numa sociedade classista e racista, explicíta as contradições da modernidade brasileira, mais notadamente o mito da democracia racial, e ao fazê-lo, questiona a natureza da luta de classes no Brasil, incorporando o elemento racial ao debate.

Para Mariátegui, o problema das raças no Peru é também um problema de classes, e não de nacionalidade. As comunidades indígenas, com a intensa exploração de sua mão-de-obra, passaram a ser um elemento revolucionário na medida em que resistiam à pauperização imposta pelas elites locais submissas ao imperialismo inglês e norte-americano, estabelecendo novos contornos à luta de classes no Peru.

Essa comunicação tem por objetivo discutir e argumentar pela especificidade das classes trabalhadoras brasileiras e peruanas na concepção dos autores supracitados; pela atualidade de suas proposições e, consequentemente, pela especificidade da luta de classes nos dois países, que apresenta um viés étnico/racial.


Palavras-chave


Etnização; Luta de Classes; Negro; Indígena; América Latina