Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Artistas no cárcere: experiência curatorial no Programa de Residência Artística Internacional da Casa de Cultura da América Latina da Universidade de Brasília – OCA
Ana Candida Avelar

##manager.scheduler.building##: Prédio da Filosofia e Ciências Sociais da FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 111
Data: 2019-05-09 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-04-26

Resumo


Em 2017, foi lançado o Programa de Residência Artística Internacional da Casa de Cultura da América Latina da Universidade de Brasília – OCA, em parceria com a Organização de Estados Ibero-Americanos - OEI. O Programa contempla artistas da América Latina e do Caribe, oferecendo aos selecionados moradia, ateliês e conversas com agentes culturais da cidade. Como curadora, supervisionei a pesquisa de artistas da Colombia, Guatemala, Costa Rica, Chile, México, além do Brasil, e organizei mostras, observando o tema “Experiência e cidade na América Latina”. Como objetivo, a residência visa fomentar o intercâmbio entre artistas, curadores, estudantes e demais agentes associados à arte contemporânea, oferecendo um espaço para discussão a partir da realidade brasiliense. Também se incentivam doações de obras produzidas nesse âmbito para o acervo da Casa. Nesta proposta, apresento o projeto e a experiência da residência artística, realizada em duas edições até o momento, e seus resultados, trazendo ainda interlocutores teóricos que auxiliam na reflexão sobre o tema, como Nicolas Bourriaud, ao propor a ideia de “artista radicante”, figura característica de uma realidade “da era dos fluxos migratórios, do nomadismo planetário”, na qual surge a valorização da residência artística como lugar privilegiado de produção artística contemporânea. E, no ambiente local, o pesquisador Marcos Moraes, a respeito da situação brasileira. Vale apontar que o tema da residência artística é assunto raro na produção acadêmica mesmo em termos internacionais, visando com esta proposta, portanto, oferecer mais subsídios para se pensar essa experiência a partir do caso da OCA. Nesse sentido, é tambem fundamental observar o sentido formador do Programa, tanto para os envolvidos diretamente na experiência, como para os estudantes da Universidade, integrados como assistentes dos artistas residentes ou ainda aqueles que frequentam os encontros públicos proporcionados pelo Programa, aproximando-se assim da pesquisa artística contemporânea internacional, oportunidade pouco frequente na capital.


Palavras-chave


Residência artística; Brasília; América Latina; Curadoria; arte contemporânea; Prática artísticas coletivas