Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Do deslocamento venezuelano, a filosofia de Achille Mbembe: reconhecimento de uma vida como vida humana
Mônica Pralli Broti

##manager.scheduler.building##: Departamento de História/FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 10
Data: 2019-05-08 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-05-02

Resumo


Do deslocamento venezuelano, a filosofia de Achille Mbembe: reconhecimento de uma vida como vida humana

Mônica Peralli Broti[1]

 

Esta pesquisa propõe articular a obra do filósofo e cientista social Achille Mbembe, Necropolítica (2018), e as novas formas de existência social, às quais os imigrantes venezuelanos são submetidos ao deixarem o país de origem e buscar e receber refúgio no Estado brasileiro. Na argumentação de Mbembe, é fundamental a ideia que uma vida é deslegitimada como humana pelo Estado de Direito, transformam corpos marcados para morrer. Este pensamento de Mbembe parece descrever a situação de violência que podemos identificar na situação dos deslocados venezuelanos no Brasil: imigrantes e refugiados com dificuldades para se integrarem à sociedade, sem acesso aos serviços públicos básicos de saúde, à moradia e à educação, com salários inferiores à população brasileira, expostos à objetalização e à abjeção, ou seja, sendo alvos da construção da imagem de um inimigo para o bom funcionamento do Estado, expostos à margem da categoria de humano; portanto, vidas destrutíveis em potencial.

A relação entre a abordagem significante do conceito Necropolítica e das vidas deslocadas venezuelanas foi observada em campo, por meio de entrevistas epistemológica e individual. Sendo assim, as  narrativas foram interpretadas à luz do autor proposto para a pesquisa, Achille Mbembe, que se dedicou à análise das principais lutas políticas contemporâneas.

Ser imigrante ou refugiado não é uma opção ou uma escolha voluntária de vida. O indivíduo deixa o seu país de origem e busca refúgio em nações próximas ou em países distantes, para que possa garantir a sua integridade física e moral. Uma das soluções possíveis para assegurar os direitos e o bem-estar dos refugiados é a integração de quem busca recomeçar sua vida nas dimensões legais, econômicas e culturais da comunidade receptora.

Palavras Chave: Venezuela - Necropolítica – Integração – Deslocado – Reconhecimento


[1] Possui pós-graduação lato sensu em Jornalismo Cultural pela Faculdade Armando Álvares Penteado (2013) e mestrado em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2018). Docente em história e sociologia do Colégio São Judas Tadeu. Tem experiência nas seguintes áreas: cultura contemporânea, multiculturalismo, estudo de gênero e da religião com ênfase em Islamismo e no acolhimento de refugiados sírios. E-mail: brotimonica@gmail.com

 

 

 


Palavras-chave


Venezuela - Necropolítica – Integração – Deslocado – Reconhecimento