Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Histórias encontradas, ficções construídas: uma comparação entre Riva Palacio e José Mármol
Brenda Carlos de Andrade

##manager.scheduler.building##: Prédio da Letras/ FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 134
Data: 2019-05-09 02:00  – 05:00
Última alteração: 2019-04-25

Resumo


Nesse trabalho, analiso os romances Martín Garatuza, de Vicente Riva Palacio, e Amalia, de José Mármol. Essas duas obras compõem um conjunto maior de romances históricos decimonônicos que tem por temática do período colonial. Essa análise se dá considerando duas linhas que convergem para pensar a relação entre história e literatura na primeira metade do século XIX. A primeira delas é a classificação desse gênero durante o XIX, proposta por Araujo Pardo em Usos de la novela histórica en el siglo XIX mexicano (2006), em três momentos. A segunda linha apresenta uma comparação entre os modos de escrever a história pela literatura nos dois romances – como eles se enquadram nas expectativas e como eles escapam dos modelos. O romance de Riva Palacio compõe, nesse sentido, uma fábula da formação nacional que tenta localizar nos seus primeiros momentos os primeiros traços dessa origem num passado que, de certa forma, é presentificado por sua intensa relação com o contexto de sua produção. Sua história é fábula de criação de um passado criollo/mestiço; é uma história porque cria uma História; forja um traço de identidade mexicana apropriado por várias ideologias e que tem um impacto ainda hoje na percepção ontológica de uma mexicanidade. De uma maneira um pouco diferente atua José Mármol em Amalia. Em lugar de criar uma fábula histórica significativa que pusesse em evidência o modelo de sociedade colonial, o escritor argentino busca no seu romance refletir sobre os fatos recentes da história argentina, embora, também como Riva Palacio e grande parte dos autores de romances históricos do século XIX, opte por um par amoroso e personagens de primeiro plano fictícios. Esse trabalho apresenta um recorte da tese doutoral apresentada por mim e avança nas análises ao tentar encontrar semelhança e diferenças nos modos de compreender a escrita da história pela literatura.

Palavras-chave


Literatura hispano-americana; Romance histórico; Século XIX; Argentina; México