Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Atores iguais, interesses diferentes: a atuação das cidades e províncias argentinas no Mercosul
Cairo Gabriel Borges Junqueira

##manager.scheduler.building##: Departamento de Geografia da FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 11
Data: 2019-05-09 02:00  – 05:00
Última alteração: 2019-05-02

Resumo


Similarmente a outros governos subnacionais, as cidades e províncias argentinas representam um processo cada vez mais crescente de internacionalização, denominado classicamente na literatura específica da área de Relações Internacionais como paradiplomacia. Esse fenômeno possui diferentes aspectos e esferas de ação, indo desde irmanamentos, busca por captação de recursos, participação em fóruns de debates globais até inserção em organizações multilaterais. Em relação a esse último aspecto, os blocos regionais mostraram certo potencial para que esses mesmos governos subnacionais iniciassem a criação de instituições próprias de estímulo a seus interesses. No caso do Mercado Comum do Sul (Mercosul), a Rede Mercocidades e o Foro Consultivo de Cidades, Estados, Províncias e Departamentos (FCCR) tornaram-se as esferas de articulação subnacional em nossa região. Considerando a atuação histórica da Argentina no bloco, o artigo tem por objetivo verificar e apontar quais foram os interesses de algumas cidades e províncias do país em criar ou participar das duas organizações mencionadas. Fazem parte da amostra cidades como Buenos Aires, Rosário, Morón, Quilmes, La Plata e Tandil, além das províncias de Misiones, Corrientes e Santa Fé. Parte-se da hipótese de que existem diferenças nos interesses governamentais dentro (intra) e entre (inter) os dois níveis governamentais – governos locais e provinciais –, desconstruindo a ideia de que os atores responsáveis pela paradiplomacia devem ser investigados de maneira unificada. São utilizadas referências bibliográficas, documentos das Mercocidades e do FCCR, bem como relatos de pesquisa de campo realizadas pelo autor para sua tese de doutorado. Na conclusão, verifica-se a hipótese selecionada e faz-se uma análise procurando estimular a memória institucional da internacionalização subnacional argentina no Mercosul.


Palavras-chave


Argentina; Mercosul; Atores Subnacionais