Conferências FFLCH - USP, I Congresso Internacional Pensamento e Pesquisa sobre a América Latina

Tamanho da fonte: 
Arte contemporânea e processos sociais: práticas comunitárias no Sul da América do Sul
Paola Mayer Fabres

##manager.scheduler.building##: Prédio da Filosofia e Ciências Sociais da FFLCH - USP
##manager.scheduler.room##: Sala 101
Data: 2019-05-07 10:30  – 01:00
Última alteração: 2019-04-26

Resumo


Percebe-se atualmente a proliferação de práticas artísticas dedicadas ao engajamento político. Essas práticas aproximam os pensamentos artísticos de contextos comunitários específicos e estimulam permeabilidades e tensões entre a arte e outras zonas de produção simbólica (como o urbanismo, ativismo ambiental, gestão política, etc.). Embora instigante, aponto duas lacunas sobre esse movimento em contexto Sul-americano: a falta de análises aprofundadas sobre práticas artísticas comunitárias dado o isolamento geográfico e o alargamento temporal que muitas vezes caracterizam esses projetos; e a falta de um corpo de produção crítica sistematizada que nos permita um contato direto com essas propostas e com as discussões que elas podem vir a acionar.

Separado atualmente pelas fronteiras nacionais, e apartado historicamente pelos regimes colonizadores, o sul da América do Sul – região que engloba parte da Argentina, o Uruguai e o sul do Brasil – ainda anuncia similitudes. Hoje, estruturas urbanas e pequenos municípios ali presentes encaram processos de decrescimento demográfico e reconfiguração de suas organizações sociais. Buscando observar a maneira como o campo artístico tem atuado perante essa problemática, a investigação propõe observar algumas ações de viés comunitário situadas nessa paisagem social. Assim, planeja-se percorrer pelos projetos Ala Plástica (1991-2016, Rio de La Plata, Argentina), Vaga em Campo de Rejeito (2001-2003, Arroio dos Ratos, Rio Grande do Sul, Brasil), Comunitária (2016-2018, Lincoln, Argentina) e Lanternas Flutuantes (2016-2018, Vale do Jacuí, Rio Grande do Sul, Brasil).

Metodologicamente, a pesquisa realizará uma análise crítica dos casos citados, partindo das perspectivas de Reinaldo Laddaga (e seus conceitos Estética da Emergência e de Laboratório) e Grant Kester (teórico ativo no debate da produção artística dialógica e colaborativa). A pesquisa busca, assim, confrontar projetos que partem desse contexto cultural e geográfico específico, possibilitando bases para observarmos o aprofundamento da relação entre arte contemporânea e suas especificidades e nossos modos de sociabilidade.


 


Palavras-chave


Artes visuais; Arte contemporânea; Processos sociais; Arte socialmente engajada; Prática comunitária